Data: 04/06/2020 Tempo: 02min de leitura Categoria: Alimentação Visualizações: 108 visualizações
Por: Observatório da Gastronomia
Por Jessica Krieger/Pricilla Back
Assessoria de comunicação do Senac/SC – imprensa@sc.senac.br

Muito utilizada em chás, banhos, infusões e até pelas tradicionais benzedeiras, a alfavaca ganhou também espaço na gastronomia regional. A especiaria, muito cultivada em hortas residenciais, veio do Oriente e chegou em solo catarinense junto com a colonização portuguesa.

Não é à toa que alfavaca é muito utilizada em receitas de peixes e frutos do mar pelos descendentes de açorianos na Ilha de Santa Catarina. E, em todo o litoral, esta erva aromática está presente em molhos, caldos e refogados.

O clima ameno de Santa Catarina, especialmente nas regiões de Mata Atlântica, foi propício à adaptação deste tempero, que conseguiu conservar seu sabor leve e forma original. E diferente do manjericão, concentra propriedades bem características não só de textura e paladar, como também benefícios para a saúde. É anti-inflamatória, antiviral, alivia tosses e congestionamentos respiratórios.

O primeiro episódio da série “Regionalidades que geram renda” do Observatório da Gastronomia propõe aproveitar esta especiaria facilmente encontrada como um toque extra de sabor no preparo do pão integral caseiro. “Por meio da técnica da infusão, é possível preparar um pão aromatizado (acesse aqui) e saudável com a alfavaca”, revela Renata Tremea, chef e professora da Faculdade Senac Florianópolis.

O vídeo mostra como incrementar a receita deste alimento comum na mesa dos brasileiros, acentuando o sabor com folhas frescas de alfavaca. A ideia é demonstrar que é possível gerar valor agregado em um produto usual, com a utilização de algumas técnicas de cozinha. Confira a receita:

 

Pão integral aromatizado com alfavaca     

Tempo de Preparo: 1 hora
Rendimento: 400g

Ingredientes:
15 folhas de alfavaca
210g de farinha integral
75ml de óleo de girassol
8g de fermento biológico
1 pitada de sal
1 colher (chá) de açúcar refinado
2 ovos
1 colher (chá) de linhaça
1 colher (chá) de gergelim preto
160 a 180ml de leite integral
Aveia para cobrir

Modo de preparo:
1 – Aqueça o leite. Assim que ferver, desligue e junte as folhas de alfavaca. Tampe por 5 minutos. Retire as folhas.
2 – Bata no liquidificador o leite aromatizado morno, o fermento, os ovos e o óleo e o açúcar.
3 – Junte a farinha aos poucos e bata até que os ingredientes estejam bem unidos.
4 – Retire do liquidificador e adicione a linhaça e o gergelim.
5 – Unte a forma, disponha a massa e salpique a aveia.
6 – Deixe descansar por 50 minutos e pré-aqueça o forno a 180 graus.
7 – Asse até dourar (cerca de 40 a 50 minutos), a 180 graus.

Dicas do pós-preparo:
Depois de frio, embale em filme plástico
Consuma em até 3 dias, fora da geladeira
Pode ser conservado congelado por até 3 meses

* Contém glúten e lactose

Além das videoaulas e do material no blog do Observatório da Gastronomia, o projeto também conta  lives com os chefs que produziram as receitas. Durante o bate papo ao vivo, os chefs vão discutir as possibilidades de uso dos ingredientes regionais abordados na websérie e tirar dúvidas sobre as receitas.
A primeira live será segunda-feira, 08/06, às 14h, sobre a Alfavaca, com a professora Renata Tremea, no Instagram do Observatório da Gastronomia.

 

 

Também pode
te interessar:

Iniciada a safra do pinhão, com expectativa de aumento da produção
Data: 13/04/2021 Tempo: 04min Categoria: Cadeia Produtiva

Iniciada a safra do pinhão, com expectativa de aumento da produção

Iniciada a safra de pinhão em Santa Catarina, a expectativa é de aumento da produção em comparação ao ano passado.

O fast-food do século XVIII
Data: 08/04/2021 Tempo: 02min Categoria: Alimentação

O fast-food do século XVIII

Temos uma memória muito curta, e o mau hábito de não valorizar a sabedoria ancestral ao aceitar, sem avaliar, o que

Abertura de candidaturas à Rede de Cidades Criativas da Unesco
Data: 01/04/2021 Tempo: 02min Categoria: Cidade Criativa

Abertura de candidaturas à Rede de Cidades Criativas da Unesco

Estão abertas as inscrições para candidaturas à Rede de Cidades Criativas da Unesco. Podem se candidatar cidades de