Data: 08/07/2021 Tempo: 06min de leitura Categoria: Gastronomia Visualizações: 82 visualizações
Por: Nathália Bernardinetti

O Campeonato Online Movimento Cachaça SC está chegando na reta final. Os cinco finalistas foram divulgados e o voto popular já está aberto.

O concurso, de cunho cultural, teve como mote o incentivo e divulgação das cachaças catarinenses. Os competidores foram desafiados a fazer um novo drinque ou a releitura de um clássico com o uso de uma cachaça de Santa Catarina. 

As votações seguem até dia 10 de julho, em meio digital. Conheça os finalistas abaixo e suas respectivas criações.

Maria da Ilha, por Alexandre Pacheco (Florianópolis/SC), com cachaça Giuseppe Amburana

Maria da Ilha – Foto: Divulgação

Alexandre Pacheco inspirou-se em duas personalidades nacionais da educação para criar o seu drinque, Anísio Teixeira e Antonieta de Barros. “A Cachaça Giuseppe Amburana representa a coragem que Anísio e Antonieta tiveram para liderar o movimento da educação, o vermouth representa a troca de conhecimento entre culturas de Anísio em suas viagens à Itália. O chá de casca de cacau representa as origens humildes e hombridade de Antonieta com o seu desejo em educar. O azeite trufado representa o tempo que jamais pode apagar o valor da educação”, conta Alexandre. A receita do drinque, batizado por Maria da Ilha – pseudônimo de Antonieta de Barros – segue abaixo:

Maria da Ilha
50 ml de Cachaça Giuseppe Amburana 
25 ml de Vermouth 1757 Di Torino Rosso
20 ml de chá de casca de amêndoa de cacau*
2 dashes angostura bitters

Guarnição: 3 gotas azeite trufado 
Método: mexido 18 segundos 
Copo: Taça Coupe

*Para o chá: 20 g de casca de amêndoa de cacau para 200 ml de água; com a água em uma temperatura de 95º C, deixe em infusão 5 minutos, logo após coe e armazene o chá em um recipiente previamente higienizado. 

⇒Beba com moderação. Esta bebida é destinada a maiores de 18 anos.

Gemellaggio, por Deivid Alves (Nova Veneza/SC), com cachaça Imigrante Prata

Gemellaggio – Foto: Divulgação

O drinque criado por Deivid Alves teve inspiração na integração dos imigrantes italianos com os brasileiros, batizando-o de Gemellaggio (algo como um acordo entre “cidades-irmãs” da Itália e Brasil). No drinque, essa integração se deu com o uso da cachaça e o vinho de uva Goethe, produzido no sul do estado. “A Imigrante é símbolo de qualidade em cachaça da região, e o vinho Goethe é exemplo de sucesso de uma uva híbrida, trazida de fora e aprimorada aqui”, explica Deivid. Confira a receita abaixo:

Gemellagio
50 ml Cachaça Imigrante Prata
25 ml Redução de Vinho Goethe*
50 ml Água com gás
1 tira de casca de limão Tahiti

*Para a redução de vinho: em uma panela adicione 400 ml de vinho Goethe seco e 50g de açúcar refinado comum. Leve ao fogo e mexa até dissolver o açúcar. Ferva por 30 minutos em fogo baixo. Deixe esfriar e engarrafe.

Preparo do coquetel:
Em uma taça para vinho branco, previamente resfriada, adicione gelo até enchê-la, adicione a cachaça e a redução de vinho, mexa bem. Complemente com a água com gás (cuidado para não colocar muita água). Mexa levemente, com uma colher, dando duas puxadas do fundo para cima. Com um descascador de legumes ou uma faca remova uma tira da casca do limão, esprema levemente em cima da taça, entrelace a casca e mergulhe no drink. 

⇒Beba com moderação. Esta bebida é destinada a maiores de 18 anos.

Santo Graal, por Guilherme Zanoni (São Ludgero/SC), com cachaça Saint Ludger Ouro

Santo Graal – Foto: Divulgação

Lendas antigas foram a inspiração de Guilherme Zanoni para o drinque batizado de Santo Graal. Utilizou a cachaça Saint Ludger Ouro para a releitura de um clássico da coquetelaria. Guilherme nos explica, “quis trazer um coquetel que valoriza muito o destilado base, e que nos faz apreciar e sentir bem a cachaça e suas características, e para isso criei uma releitura de um dos clássicos que mais tenho prazer em beber no meu dia a dia, The Old Fashioned, coquetel que apresenta um destilado base temperado.”. O modo de fazer segue abaixo:

Santo Graal
60 ml Cachaça Saint Ludger Ouro
10 ml Óleo saccharum limão siciliano (proporção de 1/2 – 500 g de casca de limão para 1kg de açúcar) 
5 dashes de Angostura Bitter

Método: Mexido 
Taça: Coupe 
Gelo translúcido em esfera
Guarnição: Twist limão siciliano (do reaproveitamento das cascas) 
Cerejas 
Prendedor metálico, reutilizável para evitar o desperdício. 

⇒ Beba com moderação. Esta bebida é destinada a maiores de 18 anos.

Áurea, por Lucas Gomes (Florianópolis/SC), com cachaça Xanadu Premium Carvalho Americano

Áurea – Foto: Divulgação

O nome do drinque é uma referência à cor dourada, ao ouro, no sentido figurado de algo magnífico. Lucas Gomes utilizou a cachaça Xanadu Premium Carvalho Amadeirado para compor sua preparação, “um coquetel de cor dourada e textura aveludada com sabor levemente adocicado no meio de notas de coco queimado, chá preto e baunilha – entre outras especiarias” explica o barman. A receita completa você confere abaixo:

Áurea
60 ml de cachaça Xanadu Xanadu Premium Carvalho Amadeirado
10 ml mel diluído* 
5 ml solução cítrica*

Copo: copo baixo com gelo grande
Guarnição: telha de queijo parmesão* com mel e cumaru

*Para o mel diluído: diluir 100 ml de mel com 50 ml de água.
*Para a solução cítrica: dissolver 10g de ácido cítrico em 150 ml de água.
*Para telha de queijo parmesão: ralar o queijo no ralo grosso, depois colocar numa assadeira e levar no forno a 180º por 7 minutos

⇒ Beba com moderação. Esta bebida é destinada a maiores de 18 anos.

O Viajante, por Tiago Lima (Florianópolis/SC), com cachaça Casa Petro Jequitibá

O Viajante – Foto: Divulgação

Celebrando aventura, experiência e recomeço, Tiago Lima criou o drinque O Viajante. Utilizou na composição a cachaça Casa Petro Jequitibá com ingredientes que enalteceram suas notas de baunilha, “aumentando o espectro herbal de cachaças envelhecidas em jequitibá, utilizamos Martini Extra Dry, um vermute tradicional”, complementa Tiago. A receita segue abaixo:

O Viajante
60 ml de Cachaça Casa Petro Jequitibá
30 ml Martini Extra Dry
10 ml Licor 43
1 gota solução salina*
1 ramo de tomilho

*Para a solução salina: 15g de sal diluídos em 100ml de água

⇒ Beba com moderação. Esta bebida é destinada a maiores de 18 anos.


Para saber mais sobre cada drinque, o processo criativo e o modo de fazer, cada finalista preparou um vídeo e disponibilizou em suas redes sociais. Acesse:

Maria da Ilha, por Alexandre Pacheco, com cachaça Giuseppe Amburana | @allebartender

Gemellaggio, por Deivid Alves (Nova Veneza/SC), com cachaça Imigrante Prata – @deivid.alvs

Santo Graal, por Guilherme Zanoni (São Ludgero/SC), com cachaça Saint Ludger Ouro | @guilhermezanonii

Áurea, por Lucas Gomes (Florianópolis/SC), com cachaça Xanadu Premium Carvalho Americano | @lucas.barmanfloripa

O Viajante, por Tiago Lima (Florianópolis/SC), com Casa Petro Jequitibá | @thunderdrinks

A votação vai até 10 de julho – clique aqui. O vencedor será conhecido no dia 11 de julho através das redes sociais.

#movimentocachaçasc

Também pode
te interessar:

Sistemas alimentares urbanos: desafios e oportunidades
Data: 27/07/2021 Tempo: 03min Categoria: Opinião

Sistemas alimentares urbanos: desafios e oportunidades

Atualmente mais da metade da população mundial vive em áreas urbanas e até 2050 espera-se que essa fatia chegue a 75%

Mel de Melato de Bracatinga recebe Indicação Geográfica
Data: 22/07/2021 Tempo: 07min Categoria: Cadeia Produtiva

Mel de Melato de Bracatinga recebe Indicação Geográfica

Santa Catarina conquistou nesta terça-feira, 20, a Indicação Geográfica (IG) do Mel de Melato da Bracatinga na

Charcutaria de Florianópolis inova na produção de embutidos com produtos locais e orgânicos
Data: 21/07/2021 Tempo: 04min Categoria: Gastronomia

Charcutaria de Florianópolis inova na produção de embutidos com produtos locais e orgânicos

Mais famosa pelos restaurantes de frutos do mar, a rota gastronômica da Lagoa da Conceição, em Florianópolis, guarda