Data: 19/08/2021 Tempo: 03min de leitura Categoria: Cadeia Produtiva Visualizações: 232 visualizações
Por: Cidasc

Após anos desenvolvendo seus conhecimentos de apicultura, os produtores Neide Reif dos Santos e Lirion Antônio Reif  obtiveram uma conquista dupla. Dois produtos de seu apiário, o mel silvestre e o mel de melato de Bracatinga, receberam o Selo Arte, que reconhece a qualidade de produtos artesanais, permitindo que sejam comercializados em todo país. 

Os produtos do Apiário Lirion, de Correia Pinto, foram o 11º e o 12° agraciados com o Selo Arte em Santa Catarina, integrando uma lista que conta também com queijos, embutidos e outros produtos apícolas. Esta certificação, criada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e concedida no estado pela Cidasc, abre novas perspectivas para pequenas agroindústrias. 

Crédito: Jaqueline Vanolli | Ascom/Cidasc

O apiário Lirion deu os primeiros passos para buscar o Selo Arte em 2019, quando iniciou as obras de uma nova unidade para o beneficiamento do mel. Também solicitou o ingresso no Serviço de Inspeção Municipal (SIM). Entre os requisitos para uma pequena propriedade ou agroindústria obter o selo, estão o registro no SIM ou no SIE, o Serviço de Inspeção Estadual, além da adoção de práticas mais artesanais e tradicionais ao beneficiar o produto.    

Um breve histórico do apiário

O casal Neide e Lirion Reif teve seu interesse pela apicultura despertado por uma reportagem de TV há 30 anos. “A gente buscava abelhas no telhado das casas e saía todo inchado pelas picadas, aquele entusiasmo de ter um apiário não estava dando certo, até que a gente fez um curso e aprendeu o jeito certo de fazer”, diz o produtor. Durante um período, mantiveram o registro  em serviço de inspeção sanitária, mas depois interromperam a produção para fins comerciais. Porém, a fama do mel que produziam permaneceu, tornando frequentes pedidos de ex-clientes e amigos para que o apiário retomasse a produção para venda. 

Lirion Reif diz que o estímulo do filho também foi essencial para retomar o projeto, assim como a orientação da responsável técnica Mayani Moraes Branco. O próprio apicultor construiu a unidade de beneficiamento, cuja dedicação e capricho maravilhou a equipe do Consórcio Intermunicipal da Serra Catarinense (CISAMA), onde Lirion Reif encaminhou o registro no Serviço Municipal de Inspeção. “Quando vim trabalhar em Correia Pinto, no segundo dia, já tinha um recado do seu Lirion perguntando se o veterinário já tinha começado o processo de registro , porque ele já tinha a unidade praticamente pronta” conta o médico veterinário Fábio Junior Arruda Lima, do CISAMA.  

Crédito: Jaqueline Vanolli | Ascom/Cidasc

Na entrega do Selo Arte, Lirion Reif também agradeceu o empenho do médico veterinário Alcenir Alves da Cruz, coordenador do Serviço de Inspeção no Departamento Regional de Lages da Cidasc. Cruz e outros profissionais da Cidasc que acompanharam o apiário em outras oportunidades aprovaram a estrutura do apiário e o cuidado com as abelhas.  Diante do que encontraram, os profissionais envolvidos estão confiantes que o proprietário, reconhecido com o Selo Arte, alcançará sua meta de crescimento nas vendas.

Mel de Melato de Bracatinga é produto único no mundo

A região apresenta condições peculiares quanto ao tipo de solo, vegetação e clima para a produção melífera, que permitiram obter junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) a Indicação Geográfica para o Mel de Melato de Bracatinga do Planalto Sul Brasileiro. Esta marca só pode ser usada pelos produtores daquela região, pois indica o caráter único do produto. 

Este tipo de mel é produzido na casca da bracatinga, espécie nativa. Nos anos pares, a casca desta árvore é atacada pela cochonilha, um inseto que suga a seiva das árvores e expele o melato que atrai as abelhas. Isto resulta num tipo específico de mel, de coloração mais escura, levemente menos adocicado, sendo o grande diferencial em relação ao mel silvestre.

Parte da produção da região é exportada. O sabor marcante encantou o mercado europeu nos anos 2000, principalmente o alemão. Entre os diferenciais que atraem os consumidores estrangeiros, estão a maior concentração de minerais e a consistência do mel, que não cristaliza.

Com informações de: Cidasc

Imagem de capa:  Art Rachen on Unsplash

Também pode
te interessar:

Atividades de Gastronomia integram Semana Acadêmica do Senac SC
Data: 24/09/2021 Tempo: 03min Categoria: Evento

Atividades de Gastronomia integram Semana Acadêmica do Senac SC

A Semana Acadêmica do Senac SC acontece de 27 de setembro a 01 de outubro com mais de 25 atividades gratuitas realizadas

Tendências e tecnologias em gastronomia na sala de aula
Data: 16/09/2021 Tempo: 08min Categoria: Formação

Tendências e tecnologias em gastronomia na sala de aula

Encontros entre alunos e o mercado profissional da gastronomia e alimentação buscaram  aproximar as pontas,

Senac SC participa da etapa estadual do Festival Enchefs 2021
Data: 15/09/2021 Tempo: 02min Categoria: Gastronomia

Senac SC participa da etapa estadual do Festival Enchefs 2021

O estado de Santa Catarina realizará, pela primeira vez, a etapa estadual do Festival Enchefs,  evento que indica