Data: 26/10/2021 Tempo: 04min de leitura Categoria: Cadeia Produtiva Visualizações: 166 visualizações
Por: Cidasc

A receita de rollmops da família Oliveira, comercializada sob a marca Vô Augusto, é a mais nova iguaria na lista de produtos com Selo Arte em Santa Catarina. A agroindústria recebeu a nota técnica com a homologação do selo nesta quarta-feira, 20 de outubro, em Itajaí, com a presença do  presidente da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Plinio de Castro, e do secretário Municipal da Agricultura e Expansão Urbana, Cesar Reinhardt, além de outras autoridades.    

O produto, bastante popular em regiões de imigração alemã, é feito com peixe (geralmente anchova ou sardinha) enrolado em volta de um pedaço de pepino ou cebola, preso em um palito de madeira e mantido em conserva.  Embora a Vô Augusto tenha aprimorado padrões de produção, controle e higiene, o processo permanece artesanal, como a família aprendeu com o ancestral que dá nome à pequena empresa. Receberam o selo os rollmops nas versões temperado e vinagrete tipo francês.

O Selo Arte foi criado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) justamente para valorizar produtos artesanais, fornecendo um selo específico que permite às pequenas agroindústrias já inscritas nos serviços de inspeção municipal ou estadual comercializarem para todo Brasil. A Cidasc, através do Departamento Estadual de Inspeção (Deinp), é quem vistoria as unidades de beneficiamento em Santa Catarina e verifica se atendem aos requisitos para receber a distinção.

O presidente, Plinio de Castro, destacou que a mistura de culturas faz com que Santa Catarina produza tantas iguarias. “Estamos entregando o 18º Selo Arte em Santa Catarina, e o Rollmops é o primeiro na área de pescados. Tenho convicção que esta certificação trará para o negócio da família Oliveira uma ampliação de mercados e agregação de valor aos produtos”, disse o presidente.

Crédito: Ascom/Cidasc

Plinio falou da satisfação de poder presenciar a conquista de uma empresa com mais de 70 anos de história. “É muito tempo de história, e ficamos felizes de poder contribuir em mais um passo que a marca Vô Augusto dará a partir de hoje”, celebrou.

O gestor regional, Cleverson Fiamoncini Cordeiro, falou sobre a dificuldade que é empreender, mas com o apoio da prefeitura de Itajaí, os empreendimentos de origem animal tem alcançado seus objetivos no município. “O Serviço de Inspeção Municipal – SIM, de Itajaí, presta um serviço diferenciado aos empreendedores do município. Todo o estabelecimento instalado em território itajaiense que trabalhe com a produção ou a manipulação de produtos de origem animal recebe o atendimento dos médicos veterinários do município. O serviço é essencial para a qualidade e segurança alimentar e sanitária da população. O Selo ARTE, além de garantir a segurança dos alimentos de origem animal, vai beneficiar também os produtores locais que pretendem ampliar seus negócios e fazer comércio com outros municípios e estados, promovendo assim o desenvolvimento econômico de Itajaí”, pontuou Cleverson.

Receita de gerações 

Augusto Santana De Oliveira Neto aprendeu a montar os rollmops com o tio, nos anos 1950, e foi passando a tradição aos descendentes, que lhe homenagearam ao escolher um nome para registrar a empresa décadas mais tarde.

Crédito: Ascom/Cidasc

O filho Edson e a nora Rute entraram na atividade nos anos 1990, mas os passos mais importantes da Vô Augusto seriam dados já nos anos 2000, com maior formalização da agroindústria e o aprimoramento de processos. 

Todos se orgulham ao falar do processo manual de montagem, que mantém a essência da receita de família. Todo trabalho é feito por familiares, de três gerações, que acreditam na necessidade de manter viva a tradição e a história.

Fonte: Cidasc


Produtos Catarinenses

Explore o Mapa elaborado pelo Observatório da Gastronomia com as Indicações Geográficas e Selo Arte no estado de Santa Catarina para encontrar produtos e produtores catarinenses certificados, clique aqui.

Para saber mais

Selo Arte, Indicação de Procedência, Denominação de Origem – os selos de identificação de qualidade e origem dos produtos são ferramentas importantes na valoração de produtos tradicionais e agregação de valor. Objetivam a valorização do produto e a proteção da região e da comunidade produtora, preservam saberes e fazeres tradicionais e garantem um padrão de qualidade ao produto certificado.

Para saber mais sobre essas certificações, acesse a live que realizamos com a pesquisadora Berenice Giehl Zanetti, do IFSC, que nos explicou as diferenças entre as certificações, o panorama catarinense e os desafios dos registros (disponível em nosso canal no Youtube).

Também pode
te interessar:

Gastronomia de Florianópolis, Cidade Criativa da Unesco,  é lançada em campanha nacional
Data: 25/11/2021 Tempo: 03min Categoria: Cidade Criativa

Gastronomia de Florianópolis, Cidade Criativa da Unesco, é lançada em campanha nacional

“Saboreie Florianópolis, a 1ª Cidade Criativa Unesco da Gastronomia” é o mote da campanha que já está circulando

Prêmio Dólmã abre votação para categoria estadual – participe!
Data: 24/11/2021 Tempo: 01min Categoria: Cadeia Produtiva

Prêmio Dólmã abre votação para categoria estadual – participe!

Está aberta a votação pela internet para a escolha do representante estadual ao Prêmio Dólmã 2021, a grande

Divulgada a lista de cidades chanceladas pela Unesco em Gastronomia
Data: 08/11/2021 Tempo: 02min Categoria: Cidade Criativa

Divulgada a lista de cidades chanceladas pela Unesco em Gastronomia

Em 2021, quarenta e nove cidades aderiram à Rede de Cidades Criativas Unesco (UCCN)  em um dos sete campos criativos